Pobre vítima!

As declarações de Janot ao PSOL justificando a imunidade concedida a Joesley Batista, dizendo que ele não é chefe da quadrilha, pode ser entendida, em primeira instância de que:

  • não existe a quadrilha da JBF e que, como tal, Joesley Batista não pode ser chefe de uma quadrilha que não existe.
  • ou existe a quadrilha. A que além do que já foi divulgado, teria pago "mensalinho" a 200 fiscais sanitários, conforme divulga o jornal Valor de ontem.
  • Mas Joesley não seria o chefe. Então quem seria o chefe? 


O que Rodrigo Janot quer vender, para justificar a sua indulgência é a versão de que Joesley Batista é uma pobre vítima de uma poderosa quadrilha, chefiada por Michel Temer. 
Há uma série de indícios ou ilações de que essa quadrilha existe mesmo, assumiu o poder central do Brasil e seria mesmo chefiada pelo Presidente Temer. Mas ainda faltam comprovações materiais.

Agora negar a existência da quadrilha da JBF e que seria chefiada por Joesley Batista é achar que todos os brasileiros são bobos. E que para derrubar um Presidente em exercício, o bandidão mor pode ser tratado como santo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário